novembro 26, 2007

Eventuais fronteiras

Entre as disciplinas do saber humano há uma enorme variação temática e metodológica. A minha preferência vai para duas famílias. Uma são as disciplinas que procuram a verdade. Esta palavra tem muitas interpretações, pode-se argumentar que nem sequer existe, que depende do contexto ou da perspectiva. Mais vale usar uma definição: a verdade contém todos os eventos que aconteceram, os que agora acontecem, bem como as leis da Natureza que os guiam ou limitam e que restringem, assim, os eventos que irão acontecer. Nesta família cabem as disciplinas que fundamentam o seu trabalho no método científico da observação, da indução, da elaboração de teses verificáveis. Mas também se incluem as disciplinas da História ou do Jornalismo. A outra família reúne os saberes baseados na razão, na argumentação e na sequência implacável da arte dedutiva. Nestas o objectivo não se centra na verdade mas sim na coerência. Aqui encontra-se a Matemática e a Filosofia (e, por ignorância ou falta de memória, não me lembro de mais nenhuma). O resto, porque há muito que sobra, é uma mistura mais ou menos elaborada de fé, de superstição e de pensamento positivo mágico. Uma rede arcaica de ideias, um ruído branco à possibilidade de melhores pessoas.

2 comentários:

Anónimo disse...

O Jornalismo é uma "disciplina do saber humano"? De que campo do saber trata o Jornalismo?

Mas o pior é que para o exemplo escolhe a História e o tal Jornalismo. Porquê a referência à História e não às (ou a outra qualquer das) restantes ciências sociais (Antropologia, Economia, Sociologia, Geografia...)? Ou porque é que não as exclui a todas? Esquecimento, falta de espaço, ou uma visão positivista da História enquanto disciplina que "revela" o passado, tal como o Jornalismo "revela" o presente? Vejamos: a escolha poderia parecer pacífica (por que não a História?) não fosse dar-se o caso de ela ser feita num blogue que tem vindo a percorrer o caminho maçador do positivismo mais básico e infantil que se encontra vulgarmente nos estudantes dos cursos das ciências exactas a quem faltam leituras complementares.

sLx disse...

As ciências sociais encaixam naturalmente onde as ciências naturais se encaixam (também não refiro explicitamente a Física, Química...). Estas disciplinas, como a História e o Jornalismo procuram esclarecer o que está, de alguma forma, obscuro, não o contrário. Quanto a revelações, do passado, do presente , das leis naturais ou sociais, será sempre e 'apenas' um ideal que orienta o trabalho de muitos profissionais honestos.

Agradeço-lhe o comentário e tem toda a razão na falta das leituras complementares. Eis uma fila de espera que nunca há-de estar vazia apesar de se ir tentando... Fique bem.