março 05, 2010

Balanço

A distância do outro, do vizinho da porta ao lado, que normalmente não vejo, não falo e que vive separado apesar da geografia comum, é uma solução para o decréscimo de conflitos (veja-se as assembleias de condomínio para um aperitivo do que seria de outro modo). Quanto maior o isolamento, menor a violência. Quando o isolamento não pode ser físico, como no caso da urbanidade compacta das nossas cidades, ele expressa-se em apatia, em reserva, em boas maneiras e discreta civilidade. A desintegração da comunidade, como tudo, tem vantagens e desvantagens. Baixa a violência mas aumenta o espaço de manobra do estado paternalista.